Arquivo da categoria: Fulton J. Sheen

Fulton Sheen – Falsa compaixão por criminosos

Percebemos que a realidade americana de décadas atrás, analisada pelo Venerável Fulton Sheen, é a realidade atual dos brasileiros: Já são mais de 60 mil o número de vítimas de assassinatos por ano no Brasil… Vivemos num país onde a esquerda, liderada por políticos, jornalistas, artistas, professores, etc, fomenta a violência criminosa, através de uma falsa compaixão, deixando a população indefesa e com medo, entregue a bandidagem. Uma vez estabelecido o caos, a própria esquerda virá com uma ditadura comunista fantasiada de solução, pra cometer bem mais crimes que os bandidos comete.

Fulton Sheen – Incompatibilidades entre homem e mulher

A convivência entre homem e mulher é repleta de incompatibilidades, e é exatamente esse o assunto do vídeo de hoje. O Venerável Arcebispo Fulton Sheen se dirige aos que já são casados, mas o vídeo é útil e muito recomendado a todos aqueles que possuem vocação matrimonial.

Ele responde qual a solução para as crises que ocorrem na vida de um casal, citando exemplos de pessoas que tiveram suas vidas mudadas pelo cônjuge, como é o caso do famoso escritor inglês G.K. Chesterton, que abandonou o agnosticismo graças a influência de sua esposa Frances, e também do médico Félix Leseur, conhecido líder do movimento anticlerical e ateísta francês, que mais tarde se converteu a padre dominicano, devido ao sacrifício de sua falecida esposa Elisabeth.

Esse vídeo, produzido em 1969, é recomendado aos que passam por dificuldades no matrimônio ou que vivem um namoro/noivado e acham que nunca passarão por nenhuma crise na vida. Talvez você faça parte do grupo otimista ou do pessimista. Fulton Sheen nos apresenta o grupo seleto daqueles que querem caminhar, em meio as dificuldades, por meio da estrada que conduz a contemplação eterna do Amor perfeito, que é Deus.

Como descobrir a religião verdadeira – Venerável Fulton J. Sheen

Neste episódio do programa “A Vida vale a pena ser vivida”, o Venerável Fulton J. Sheen ensina como comparar as religiões existentes no mundo e descobrir qual delas é a verdadeira. “Você não pode simplesmente do nada dizer que vai escolher Buda, Confúcio ou a Cristo. Você deve usar a razão!” (Fulton J. Sheen)

Ele ataca o argumento de que o cristianismo é apenas uma evolução de crenças pagãs e, portanto, falso. Se baseando nos argumentos de H. L. Mencken, Alfred North Whitehead e de outros pensadores da época, o Arcebispo “prova” que Napoleão nunca existiu, expondo ao ridículo tais “intelectuais”.

Na sequencia da aula, ele mostra a inconsistência de outros argumentos comumente usados, como o de que todas as religiões fazem um culto de adoração ao sol, que não há nenhuma religião que não seja a evolução de uma religião primitiva e, por fim, que existem semelhanças entre as religiões e por isso todas elas não são divinas e sim imitações umas das outras.

Além disso, ele explica a diferença entre as religiões do mundo e ensina porque a Verdade só se encontra presente, em sua totalidade, dentro do Corpo Místico de Cristo, ou seja, na Igreja Católica Apostólica Romana. “A Igreja, peregrina na terra, é necessária para a salvação. Só Cristo é mediador e caminho de salvação; ora, Ele se torna presente no seu Corpo que é a Igreja; e, ao inculcar por palavras explícitas a necessidade da fé e do Batismo (cf. Mc 16,16; Jo 3,5), corroborou ao mesmo tempo a necessidade da Igreja, na qual os homens entram pelo Batismo tal como por uma porta. Existe portanto uma única Igreja de Cristo, que subsiste na Igreja Católica, governada pelo Sucessor de Pedro e pelos Bispos em comunhão com ele. [1]

Ele propõe no vídeo que coloquemos enfileirados todos os líderes religiosos do mundo e que façamos uma série de perguntas a eles. As respostas a essas perguntas nos levam a Jesus Cristo e, consequentemente, a Igreja que Ele fundou.

(…) toda a salvação vem de Cristo-Cabeça por meio da Igreja, que é o seu corpo. Portanto não poderiam ser salvos os que, conhecendo a Igreja como fundada por Cristo e necessária à salvação, nela não entrassem e nela não perseverassem. Ao mesmo tempo, graças a Cristo e à sua Igreja, podem conseguir a salvação eterna todos os que, sem culpa própria, ignoram o Evangelho de Cristo e a sua Igreja mas procuram sinceramente Deus e, sob o influxo da graça, se esforçam por cumprir a sua vontade, conhecida através do que a consciência lhes dita.” [3]

Fulton J. Sheen explica que, ao contrário de todos os fundadores de religiões do mundo, Jesus Cristo não deixou uma doutrina, uma verdade ou um caminho. O Arcebispo mostra que Jesus é o Caminho, a Verdade e a Vida (Jo 14, 6), sendo a Igreja Católica a responsável por guardar essa Verdade e leva-la a toda a humanidade. (Mt 16, 18) (Jo 24,15)

Sugerir que a Igreja Católica está no mesmo nível de outras religiões ou que a salvação pode ser empreendida simplesmente por esforços humanos significa, portanto, não só caminhar na contramão dos santos, mas faltar à caridade com que Cristo amou a Sua Igreja e Se entregou por ela (cf. Ef 5, 25). [4]

O Arcebispo Sheen nasceu no dia 8 de maio de 1895 nos Estados Unidos. Foi ordenado sacerdote em 1919 e logo se tornou uma figura popular na rádio, na década de 30. Foi apresentador do programa de rádio “Hora Católica” e do programa de televisão “A Vida vale a pena ser vivida”, ganhador do Emmy, e chegou a uma audiência de milhões durante sua carreira nos meios de comunicação. [2]

*Em 4:53, aparentemente, Fulton Sheen confunde e fala Maya, porém o correto seria Mirra.

Referências:

[1] declaração “Dominus Iesus” sobre a unicidade e a
universalidade salvífica de Jesus Cristo e da Igreja http://www.vatican.va/roman_curia/congregations/cfaith/documents/rc_con_cfaith_doc_20000806_dominus-iesus_po.html

[2] http://www.acidigital.com/noticias/mais-um-passo-para-a-beatificacao-do-apostolo-da-televisao-dom-fulton-sheen-39740/

[3] Catecismo da Igreja Católica

[4] https://padrepauloricardo.org/episodios/fora-da-igreja-existe-salvacao