Arquivo da categoria: Interpretação da bíblia

Lizzie – O batismo dos católicos é válido? Criança pode ser batizada?

A ex igreja protestante de Lizzie ensinava que os católicos estão caminhando a passos largos em direção ao inferno, já que não batizam por imersão, e ainda batizam crianças. Porém, podemos ver na Bíblia e nos escritos dos Padres da Igreja que não é bem assim… Então, quem está certo?

“A prática de baptizar as crianças é tradição imemorial da Igreja. Explicitamente atestada desde o século II, é no entanto bem possível que, desde o princípio da pregação apostólica, quando «casas» inteiras receberam o Baptismo se tenham baptizado também as crianças (48).” (Catecismo da Igreja Católica, parágrafo 1252.)

Scott Hahn explica biblicamente o Dogma da Imaculada Conceição de Maria

Em 1854 o Papa Pio IX proclamou solenemente o dogma da Imaculada Conceição de Maria. Alguns acusam os católicos de não terem sustentação bíblica para essa doutrina. Será mesmo? Nesse vídeo, o Dr. Scott Hahn explica maravilhosamente o Dogma da Imaculada Conceição de Maria e nos mostra onde este se encontra nas Sagradas Escrituras.

Peço que rezem uma ave Maria por Thiago Cruz, que traduziu e legendou esse vídeo.

Steve Ray: somos salvos somente pela fé?

Sabemos que a bíblia não ensina a doutrina protestante da Sola Scriptura. Porém, supondo que ensinasse, será que ela ensinaria a Sola Fide, doutrina protestante que defende a visão de que somos salvos somente pela fé? É o que o ex protestante Steve Ray analisa nesse vídeo!

A tradução e as legendas foram feitas pelos amigos Symon Bezerra e Bruno Cruz, que sempre acompanham o canal. Peço a todos que, de maneira sincera, rezem uma Ave Maria por eles. Que Deus, sob a intercessão da Santíssima Virgem Maria, retribua os dois por tamanha generosidade!

Scott Hahn e as bases bíblicas da Assunção da Santíssima Virgem Maria

Scott Hahn explica resumidamente as base bíblicas do dogma da Assunção da Santíssima Virgem Maria. Se você quiser entender detalhadamente essa explicação, versículo por versículo, pegue sua bíblia e assista a esse outro vídeo aqui: https://goo.gl/N2VVSF

Esse vídeo foi traduzido do original “Scott Hahn on the Assumption of the Blessed Virgin Mary”, do canal St. Paul Center, disponível no youtube.

Patrick Madrid: Contradições da Sola Scriptura

Muitos comemoram hoje (31/10/2017) o triste dia em que Lutero deu início a revolução protestante, que dividiu o Cristianismo e lançou milhares de almas no erro. Os danos são incalculáveis… Imagine, por exemplo, a quantidade de pessoas que enfrentam a hora da morte nesse momento e que, após terem vivido uma vida inteira afastadas da Igreja Católica, ainda não terão acesso aos sacramentos… Isso é muito triste e, por isso, pedimos que você intensifique as orações no dia de hoje pela conversão dos protestantes, pedindo a Deus, através da intercessão da Santíssima Virgem Maria, que muitos deles enxerguem o erro e voltem para a Igreja de Cristo.

O erro mais gritante do protestantismo surge da ideia de que a bíblia, em si mesma, é auto suficiente no que diz respeito as questões relacionadas a doutrina e prática cristã. Essa mentalidade, que surgiu somente na época da revolução protestante, diz que tudo precisa ser provado através da bíblia.

Porém, se alguém disser que só acredita nos ensinamentos que estão na bíblia, para que essa declaração seja consistente e coerente, ela em si mesma precisa ser demostrada e ensinada pelas próprias páginas da bíblia. O problema é que essa doutrina que “sustenta” basicamente todo o protestantismo, chamada de “Sola Scriptura”, não é ensinada explícita ou implicitamente em NENHUM lugar da bíblia. Sim, a bíblia não ensina isso em nenhum lugar!

Patrick Madrid, famoso apologista católico dos EUA, apresenta mais alguns argumentos contrários a essa doutrina e ensina o modo correto de agir diante dessa armadilha protestante, que infelizmente engana muitas pessoas.

“A fé católica está baseada na Bíblia, é lógico! Contudo, apoia-se também na tradição e no magistério dirigido de modo infalível pela cátedra de Pedro. A tradição consiste em tudo o que a Igreja viveu e aprendeu sob a luz do Espírito Santo nesses dois mil anos de vida. O sagrado magistério é todo imprescindível ensinamento acumulado durante os séculos e oficializado pelo Papa. A tradição e o magistério da Igreja garantem a interpretação autêntica da revelação bíblica e constituem a fonte da riquíssima vida litúrgica da Igreja, através da qual prestamos ao Senhor toda a honra, glória e louvor.” [1]

Para mais vídeos, acesse: https://otradutorcatolico.wordpress.com/

Fonte do texto:

[1] https://goo.gl/Xm2KoT
[2] Vídeo traduzido do original “Patrick Madrid: Sola Scriptura” Disponível aqui https://goo.gl/f3XhrL

Maria na bíblia: aprenda a defendê-la em apenas 11 minutos

Vídeo traduzido do original: True faith TV: The Truth About Mary and Scripture: MUST SEE!”. Se encontra aqui: https://www.youtube.com/watch?v=kUdYeYy3NQA

Através desse vídeo você será capaz de defender a Santíssima Virgem Maria diante de QUALQUER pessoa. Em 11 minutos ficará provado que:

Maria é a nova Eva;
Maria é a nova Arca da Aliança;
Maria é mãe do Rei e, consequentemente, nossa Rainha;
Maria é nossa advogada e intercessora;
Maria é Mãe dos discípulos de Cristo;
Maria é concebida sem pecado original;
Maria é assunta ao céu;

Para um melhor entendimento do vídeo, já que existem muitas citações, é ideal que você faça o seguinte:

– Pegue a bíblia;
– Pegue uma caneta;
– PAUSE o vídeo em algumas partes;
– Sublinhe todas as passagens aqui citadas;

Salve Maria Santíssima!

Encontre mais vídeos sobre a correta interpretação da bíblia aqui:

https://otradutorcatolico.wordpress.com/

 

Por que a bíblia protestante é menor?

Tradução do original: “Ready Reasons – Why Are Protestant Bibles Smaller?” Autor: Trent Horn, do Catholic Answers. Disponível aqui: https://goo.gl/P5rnH4

“No século XVI, os protestantes afastaram-se do Magistério, renegando-o. Sob a alegação de que a Igreja Católica havia se corrompido, empreenderam um grande esforço arqueológico para recuperar a chamada Igreja “primitiva”. Nesse movimento, descobriram que o povo judeu possuía uma lista diferente de livros sagrados, com 39 livros – ou seja, 7 livros a menos que o cânon católico. Daí para concluírem que a Igreja Católica acrescentou os outros livros foi questão de tempo.

Jesus deu uma ordem aos Apóstolos: “ide pelo mundo e evangelizai”. Ora, o mundo daquela época falava o grego, que era o equivalente ao inglês de hoje. Assim, os Apóstolos começaram a pregar o Evangelho em grego. Mas como se dava isto, se a Bíblia estava em hebraico? Os Apóstolos passaram a utilizar uma tradução da Bíblia do hebraico para o grego denominada Septuaginta, que havia sido elaborada em Alexandria antes de Cristo.

Ocorre que na Tradução dos Setenta, como também é conhecida, estão contidos aqueles sete livros. Ora, qualquer biblista sério é capaz de perceber que em diversas citações do Antigo Testamento encontradas no Novo, a tradução utilizada é a da Septuaginta. Este era o livro utilizado pelos Apóstolos e foi este, portanto, que a Igreja Católica adotou.

É verdade que houve um conflito entre os cristãos e os judeus, pois estes perceberam que os Apóstolos estavam pregando o Evangelho de forma diferente e, por isso, expulsaram-nos das sinagogas. Esse fato também motivou os judeus a fecharem o cânon dos livros sagrados: eles decidiram pela exclusão definitiva daqueles sete livros que constavam na Septuaginta.

Isto, porém, só aconteceu no final do século I, ou seja, um século após a vinda de Jesus. Desta forma, os protestantes, ao aceitarem o cânon da bíblia judaica, estão desprezando a autoridade dada pelo próprio Jesus aos apóstolos e aceitando a definição dos rabinos judeus mesmo depois de Cristo.

Muito se poderia argumentar ainda nesse sentido, contudo, para os católicos basta saber que quem define o cânon das Escrituras é a Igreja. É importante lembrar também que foi esta mesma Igreja quem definiu os outros 27 livros do Novo Testamento, sobre os quais não há discussão. Portanto, uma pergunta que não pode deixar de ser feita é: por que os protestantes aceitam a autoridade da Igreja Católica que definiu os 27 livros do Novo Testamento e não aceitam a autoridade dessa mesma Igreja quanto aos 46 livros do Antigo Testamento?” [1]

QUER SABER MAIS? ACESSE A FONTE DO TEXTO:

[1] Qual é a diferença entre as bíblias católica e protestante?
https://padrepauloricardo.org/episodios/qual-e-a-diferenca-entre-a-biblia-catolica-e-a-biblia-protestante

 

Pedro é a rocha sobre a qual Jesus edificou sua Igreja?

Nesse vídeo traduzido do original “Is St. Peter the Rock on which Jesus built his Church?” disponível aqui: https://goo.gl/CJSZKw o o ex protestante Jimmy Akin nos da alguns argumentos sobre a correta interpretação de uma das passagens mais polêmicas da bíblia, encontrada em Mt 16, 18, onde Jesus diz para Pedro: “E eu te declaro: tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha Igreja.”

Jimmy Akin explica a fraqueza do argumento protestante de que a tradução no grego de “Pedro” e “rocha” possuem significados diferentes e que, por isso, Jesus estaria desprezando Pedro. Prosseguindo, mostra que não é necessário saber grego ou aramaico para entender essa passagem, mas que basta apenas o conhecimento a respeito de uma característica estrutural presente no texto em Mt 16, 18, que indica Pedro como a rocha.

“Uma das contendas que mais divide os Católicos dos Ortodoxos e dos evangélicos é a primazia do Bispo de Roma sobre todos os demais bispos do mundo. Em outras palavras, a questão da autoridade continua sendo hoje causa de divisão para os cristãos.

De fato, a experiência no trato com conversos ao catolicismo demonstra que, uma vez aceitada a autoridade de Roma, todas as demais divergências doutrinais são superadas com maior facilidade, como podem ser os sacramentos, Maria, os Santos, etc.” [1]

Você pode aprofundar mais esse assunto visitando os seguintes sites:

[1] http://www.veritatis.com.br/o-fundamento-biblico-da-primazia-de-pedro/

[2] http://www.ofielcatolico.com.br/2001/01/a-pedra-sobre-qual-se-fundamenta-igreja.html

[3] http://www.ofielcatolico.com.br/2002/03/analises-do-nome-de-s-pedro-apostolo-e.html

A mulher de Apocalipse 12 é Maria, Israel ou a Igreja?

“A instituição da Rainha Mãe surge, pela primeira vez, na descendência da casa da Davi, nos reis que vieram após o seu reinado. Na narrativa bíblica sobre a entronização de Salomão percebe-se claramente a reverência do rei pela mãe Betsabé, quando esta vem visitá-lo. O livro de I Reis, capítulo 2, versículo 19, diz:

“Betsabé foi, pois, ter com o rei para falar-lhe em favor de Adonias. O rei levantou-se para ir-lhe ao encontro, fez-lhe uma profunda reverência e sentou-se no trono. Mandou colocar um trono para a sua mãe, e ela sentou-se à sua direita”

Essa atitude de Salomão remete imediatamente ao Salmo 44: “posta-se à vossa direita a rainha, ornada de ouro de Ofir.” Essa rainha é a gebirah, a rainha mãe. Os hebreus mantiveram essa tradição até o exílio da Babilônia, quando não havia mais rei. A partir dessa época, começa-se a esperar a vinda do novo filho de Davi, o messias.

Quando o Anjo Gabriel visita a Virgem Maria e lhe revela os planos de Deus, fala que Jesus herdará “o trono de seu pai Davi; e reinará eternamente na casa de Jacó”. Ademais, saúda Maria, dizendo “Ave, cheia de Graça”. Gabriel está saudando a rainha mãe, a mãe do “Filho do Altíssimo”, cujo “reino não terá fim.” Do mesmo modo também diz Isabel, quando Maria chega a sua casa para ajudá-la: “Donde me vem esta honra de vir a mim a mãe de meu Senhor?” (Cf. Lc 1, 43)

No apocalipse de São João se encontra alguns traços desse reinado. E é também nesse mesmo livro que a Virgem Maria surge mais uma vez como rainha, “uma Mulher revestida do sol, com a lua debaixo dos seus pés e na cabeça uma coroa de doze estrelas.” (Cf. Ap 12, 1)

Alguns protestantes ficam perplexos perante essa interpretação da Igreja. A mulher, nesse caso, seria apenas um simbolismo da antiga cidade de Israel e das doze tribos. Ou então uma alusão à Igreja triunfante sendo coroada no céu.” [1]

Nesse caso, qual é a interpretação correta? A mulher do apocalipse é a Virgem Maria? A Igreja triunfante? Ou é o povo de Israel? Descubra a resposta através de Jimmy Akin.

Fontes do Texto

[1] Por que nós chamamos a Virgem Maria de Rainha e de Senhora? https://padrepauloricardo.org/episodios/por-que-nos-chamamos-a-virgem-maria-de-rainha-e-de-senhora