Arquivo da categoria: Jesus

Cardeal Arinze: Pessoas em pecado grave não podem comungar

Nesse vídeo, traduzido do original “Life Site News: Cardinal Arinze – persons blinded by evil cannot receive Communion. Disponível aqui: https://goo.gl/5Gi4EC), o Cardeal Arinze nos diz porque pessoas em estado de pecado mortal não podem se aproximar da Santa Comunhão.

“Por isso o Apóstolo já advertia à comunidade de Corinto que se examinasse antes de aproximar-se da Eucaristia, pois “quem comer o pão ou beber do cálice do Senhor indignamente será réu do corpo e do sangue do Senhor” (1 Cor 11, 27). Na mesma linha, São João Crisóstomo levantava a sua voz, pedindo aos fiéis que não se abeirassem “desta Mesa sagrada com uma consciência manchada e corrompida”: “De fato, uma tal aproximação nunca poderá chamar-se comunhão, ainda que toquemos mil vezes o corpo do Senhor, mas condenação, tormento e redobrados castigos”. O Concílio de Trento corroborou este costume da Igreja, afirmando que “é preciso um exame para que ninguém, por mais contrito que ele considere, se aproxime da sagrada Eucaristia sem antes confessar sacramentalmente, caso esteja consciente de algum pecado mortal”. [1]

Para evitar esse terrível sacrilégio, faça um bom exame de consciência e, se necessário, busque o sacramento da penitência na sua paróquia. Para isso, use esse guia aqui: https://missatridentinaembrasilia.files.wordpress.com/2013/09/exame-de-conscic3aancia-rev.pdf

Fonte do texto:

[1] A Eucaristia é remédio para quem está em pecado mortal? https://padrepauloricardo.org/blog/a-eucaristia-e-remedio-para-quem-esta-em-pecado-mortal

Anúncios

Jesus e as raízes judaicas da eucaristia

Vídeo traduzido do original “Dr. Brant Pitre, Jesus & the Jewish Roots of the Eucharist” Disponível aqui: https://goo.gl/pcWq8b

Conforme vemos em Levítico 17, 14, os judeus no Antigo Testamento eram absolutamente proibidos de beber sangue. Tendo em vista isso, como a primeira geração de cristãos, que eram todos cristãos judeus, passaram a crer tão rapidamente na presença real de Cristo na eucaristia? Como, por exemplo, São Paulo, São Pedro, São Tiago, São João e a Bem-Aventurada Virgem Maria começaram a comer e beber o Corpo, Sangue, Alma e Divindade de Cristo? O próprio São Paulo escreve: “Porventura o cálice de bênção, que abençoamos, não é a comunhão do sangue de Cristo? O pão que partimos não é porventura a comunhão do corpo de Cristo? (1 Coríntios 10, 16).

Sangue era considerado uma abominação, um tabu entre os judeus, daí vemos São Paulo, um mestre da lei dizendo isso como se fosse um hábito comum? O que aconteceu com esses judeus?

Nesse vídeo chamado “Jesus e as raízes judaicas da eucaristia”, O Dr. Brant Pitre nos ensina detalhadamente como isso aconteceu, explicando a relação da Eucaristia com:

1) A Páscoa Judaica;
2) As crenças judaicas sobre o Maná dos céus;
3) O misterioso Pão da presença judaico, que os judeus mantinham no Tabernáculo de Moisés e depois no Templo de Salomão;

Se você tem o interesse de aumentar sua fé na presença real de Nosso Senhor Jesus Cristo na eucaristia, esse vídeo é pra você!

 

VIVA A BATINA!!! (Documentário legendado em português)

“Viva a batina!” é um documentário que visa ser um sincero tributo a batina. Uma homenagem emocionante a todos os sacerdotes que usam fielmente a batina em tempos difíceis e injustos. É um estímulo para todos aqueles que a usam, um convite para aqueles que desejamos que usem e um testemunho da verdade do Magistério da Igreja com relação ao uso do hábito eclesiástico.

Os símbolos estão por todos os lugares, e um dos que mais produzem efeito, são os uniformes. Um policial ou um guarda de trânsito não precisam estar prendendo ou multando, apenas a sua presença já influencia as pessoas que estão ao seu redor.
Os confortam, dão segurança… ou o contrário, deixando as pessoas preocupadas ou inquietas. Uma batina sempre gera algum efeito. Seu sentido sobrenatural não exige pregações ou que seja dito algo. Ela encoraja aqueles que estão na graça de Deus, alertam aqueles que não estão e para aqueles que estão afastados de Deus, produz arrependimento.

Vivemos numa cultura totalmente secularizada e, assim, mais do que nunca, são necessários sinais no mundo que simbolizem o céu e a presença de Deus entre nós, e esses pequenos sinais tem muito mais significado hoje do que no passado. Afinal, no mundo de hoje já não existem sinais de sacralidade e o próprio mundo se dirige a um caminho secular, praticamente todo ateísta. O sacerdócio deve ser visível. A batina faz com que o sacerdote seja visível. Quantos por aí, que estão afastados da Igreja e da fé, ao verem a batina do padre ou o hábito do religioso e religiosa, não recordam a presença da Igreja?

A batina é um testemunho silencioso e constante da presença da Igreja no mundo. O que aconteceria se todos os padres, seminaristas, noviços e noviças, religiosos ou religiosas
usassem sua batina e o hábito religioso? A resposta é que em todos os lugares e em todos os momentos, a Igreja seria visível e estaria presente na sociedade. Que grande e eficaz método de evangelização, que ocorre apenas com o sinal externo do hábito, sem palavras ou ações!

A batina é moderna e atual, assim como é moderna e atual a mensagem que ela transmite sobre Cristo e a Cruz de Cristo.”

Jesus: mentiroso, louco ou Deus.

Os cristãos confessam, desde sempre, que Jesus Cristo é Deus. São João escreve que a Palavra, que “estava junto de Deus” e “era Deus” ( Jo 1, 1), “se fez carne e veio morar entre nós” (Jo 1, 14). São numerosos os discursos de Cristo em que Ele deixa claro ser muito mais que um simples homem – todo o Evangelho de São João está permeado de declarações desse teor –, sendo este o motivo alegado pelos judeus para condená-Lo à morte: “Não queremos te apedrejar por causa de uma obra boa, mas por causa da blasfêmia. Tu, sendo apenas um homem, pretendes ser Deus” (Jo 10, 33).

Se, naquela época, até quem não seguia Nosso Senhor tinha clara consciência da grandeza do que Ele anunciava, hoje, muitos – atribuindo a si o apelido de “cristãos” – têm advogado, covardemente, uma “terceira opção”: ao invés de rejeitar ou aceitar de vez a mensagem do Evangelho, recorrem a uma leitura distorcida das Escrituras, reduzindo a figura de Jesus à de “um grande profeta, um mestre de sabedoria, um modelo de justiça” [1], cujas máximas valeriam, no máximo, como “guias motivacionais”. Para essas pessoas, a Bíblia não é o livro que traz a revelação de Deus, mas tão somente um “manual de autoajuda”; e a Igreja não é um edifício espiritual, mas uma construção puramente material, voltada apenas aos cuidados e necessidades deste mundo.

É preciso reconhecer, porém, como é cômodo relegar Nosso Senhor à posição de “apenas um homem”. Se é assim, as suas palavras realmente não vinculam, nem obrigam ninguém a nada; são apenas reflexões morais e sociais, como as de qualquer pensador antigo. Daria no mesmo, então, citar Confúcio, Dalai Lama, Buda, Chico Xavier ou Jesus Cristo. Afinal, se são todos homens, com igual tratamento deveriam ser acolhidas suas mensagens: como palavras humanas.

Antes de mais nada, importa denunciar o grave equívoco desse ponto de vista, que não pode ser aceito sem se cometer um grande e grave atentado à razão. Se Jesus não é “o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo” ( Jo 1, 29), nem “o pão que desceu do céu” e que dá a vida eterna (Jo 6, 41), nem “a porta das ovelhas” (Jo 10, 7) – realidades que ninguém usaria senão para se referir à divindade –, então, ou é um mentiroso, que queria enganar os outros, ou um louco, que não sabia sequer quem ele mesmo era. Ora, que grandeza pode haver na mentira e na loucura? Ou Jesus é Deus, ou não é nada.

O padre Mike Schmitz esclarece esse assunto e responde quem Jesus realmente é.

Fonte do texto: https://padrepauloricardo.org/blog/ou-jesus-e-deus-ou-nao-e-nada

 

Quem é Jesus? Jesus é Deus?

Qual a diferença entre Jesus, Moisés, Buda e Maomé?

O Bispo Robert Barron responde essa pergunta e explica qual é a nossa situação diante de Jesus: se Jesus é Deus, então devemos entregar nossa vida toda a Ele. Caso não seja Deus, então é o maior charlatão de todos os tempos. A escolha é sua.

Uma coisa é certa, não existe meio termo.

legenda adaptada do canal https://www.youtube.com/channel/UCgFyC3hrR0PLs5j8wv4-SbQ